sexta-feira, 6 de julho de 2007

TECIDO CONJUNTIVO

Funções
 Estabelecimento e manutenção da
forma do corpo;
 União de outros tecidos;
 Proteção de órgãos internos;
 Imunidade;
 Armazenamento de gordura;
 Proteção contra choques (batidas).
Apresenta:
 Diversos tipos de células;
 Material intercelular (elaborado pelas
próprias células) e formado por
substância fundamental amorfa e fibras
do conjuntivo.
OBS: origem do mesênquima (tecido
embrionário que se origina do mesoderme)
Células do conjuntivo
 Apresenta uma variedade de células do
próprio tecido e outras que originam do
sangue.
Fibroblastos;
Macrófagos;
Mastócitos;
Plasmócitos;
Células Adiposas;
Neutrófilios, eosinófilos, basófilos
Fibroblasto
 Responsável pela formação das fibras e
da substância fundamental amorfa;
 Morfologia: apresenta prolongamentos
citoplasmáticos irregulares, núcleo
ovóide, grande, claro, com cromatina fina
e nucléolo evidente. O citoplasma é rico
em REG e Golgi

Sintetiza colágeno, elastina,
glicosaminoglicanas, proteoglicanas e
glicoproteínas estruturais.
 A medida que envelhece, diminui a atividade
de síntese – fibrócito.
 Raramente se dividem. Em processos de
cicatrização, os fibrócitos reassumem a
forma de fibroblastos e podem voltar a
sintetizar fibras
 É a principal célula envolvida nos processos de
cicatrização. Os espaços deixados por lesão em
tecidos cujas células não são capazes de se
regenerar (p. ex. músculo cardíaco) são preenchidos
por uma cicatriz de tecido conjuntivo
 Miofibroblasto:fibroblasto com grande quantidade de
actina e miosina. Sua atividade contrátil é
responsável pelo fechamento das feridas (contração
da ferida)

Macrófago
 Originam-se dos monócitos vindos do sangue
 Atravessam as paredes dos capilares e fixam-se no
conjuntivo, podem durar de 1 a 2 meses
 Possuem núcleo ovóide ou em forma de rim,
cromatina condensada
 Possuem capacidade fagocitária (dependendo do seu
estado funcional): restos celulares, elementos
anormais da matriz extracelular, células neoplásicas,
bactérias.

Participam do processo de digestão parcial e
apresentação de antígenos
 Quando estimulados por substâncias estranhas,
infecções – macrófagos ativados ( capacidade de
fagocitar e digerir partículas estranhas);
 Papel importante na remoção de restos celulares e
componentes extracelular formados durante os
processos de involução fisiológica
 Secretam substâncias que participam do processo
inflamatório e reparação de tecidos (citocinas e
colagenases)

Mastócito
 Morfologia: célula globosa, grande e citoplasma com
grânulos basófilos; núcleo esférico e central;
 Os grânulos contém substâncias como heparina,
histaminas (processos alérgicos) e o fator
quimiotáxico dos eosinófilos – ECF-A (eosinophil
chemotatic factor anaphylasis), proteases.
 Colaboram com as reações imunes e têm papel
fundamental na inflamação, reações alérgicas,
expulsão de parasitas
 Apresentam na membrana celular e nos grânulos –
receptores para imunoglobulina E (IgE) produzida
pelos plasmócitos;
 Se originam de células-tronco hematopoiéticas da
medula óssea
 Reações de Sensibilidade Imediata: são
provocadas pela liberação dos mediadores químicos
armazenados nos grânulos dos mastócitos.

Plasmócito
 São poucos numerosos no tecido conjuntivo, mas
abundantes em tecidos sujeitos à penetração de antígenos
(bactérias) como as mucosas, sendo abundantes em
regiões de inflamação crônica;
 Originam-se dos linfócitos B ativados do sangue;
 Morfologia: células ovóides, citoplasma basófilo (RER e
Golgi) núcleo esférico,cromatina em arranjos que lembram
raios de carroça
 Fabricam anticorpos que são imunoglobulinas produzidas
em resposta a penetração de moléculas estranhas, os
antígenos.

Células adiposas ou adipócitos
 Células especializadas no
armazenamento de energia , sob a
forma de triglicerídeos.
Outros Leucócitos
 São células sangüíneas que migram dos
capilares e vênulas de onde saem por
diapedese, especialmente em locais de
invasão de microorganismos;
 Mais comuns: neutrófilos, linfócitos e
eosinófilos.
Fibras do Conjuntivo
 Três tipos principais de fibras do
tecido conjuntivo:
Fibras colágenas;
Fibras reticulares;
Fibras elásticas.
Colágeno
 Tipo de proteína mais abundante no organismo
 Encontrada na pele, ossos, cartilagem, músculo liso,
lâmina basal
 Proteínas com graus variados de rigidez, elasticidade
e força de tensão
 A família dos colágenos é composta por mais de 20
tipos geneticamente diferentes

Colágeno
 Síntese: fibroblastos, condroblastos e osteoclastos
 Principais aminoácidos: glicina, prolina,
hidroxiprolina e hidrolisina
 As fibrilas de colágenos são formadas pela
polimerização de unidades de TROPOCOLÁGENO
 As moléculas de tropocolágeno podem se unir para
formar fibrilas, fibras, feixes.

Síndrome de Ehlers-Danlos
Hiperelasticidade e
dobras aumentadas da
pele
Pseudotumor abaixo
do cotovelo
Fibras Colágenas (tipo 1)
 São as mais abundantes no tecido conjuntivo
 Coloração branca no estado fresco
 Fibras longas, que apresentam grande resistência a
tração, diâmetro varia de 1 a 20 Im
 Preparados histológicos coloridos com H-E são
vermelhas (acidófilas)

Fibras reticulares
 Formadas por proteína colágeno tipo III (são mais
delicadas, diâmetro de 0,5 a 2 Im)
 Pouco resistentes
 Não se coram por H-E. Visualização através do uso
de impregnação com sais de prata (fibras argirófilas),
aparecendo em negro. Também são PAS positivas
(devido ao alto conteúdo de cadeias de açúcar
associadas a estas fibras)
Fibras reticulares
 Formam o arcabouço dos órgãos
hemocipoéticos (baço, linfonodos, medula
óssea). Em órgãos epiteliais (fígado, rim e
glândulas endócrinas) formam uma rede em
torno das células que os constituem

Fibras elásticas
 São mais delgadas que as colágenas e muito
delicadas;
 Não se coram por H-E. Visualização através do uso
de impregnação com sais de prata (fibras argirófilas),
aparecendo em negro
 São formadas por elastina e fibrilina
 Exemplo de patologia: síndrome de Marfam

Substância Fundamental Amorfa
 É uma mistura complexa altamente
hidratada
 Preenche os espaços entre as células e
fibras do tecido conjuntivo
 Sendo viscosa, atua ao mesmo tempo
como lubrificante e como barreira à
penetração de microorganismos invasores
SFA: Composição
 Glicosaminoglicanas (GAGs)
(mucopolissacarídeos)
 Proteoglicanas
 Glicoproteínas multiadesivas

Glicoproteínas multiadesivas
 Proteínas ligadas a cadeias de glicídios, mas ao
contrário das proteoglicanas, é o componente protéico
que predomina nestas moléculas
 Fibronectina, Laminina, Integinas
 Fibronectina e Laminina participam de modo
importante no desenvolvimento embrionário
 Aumentam a habilidade das células cancerosas invadir
outros tecidos

Fluido Tissular
 Constituição semelhante a do plasma, porém com
pouca quantidade de proteínas plasmáticas
 Normalmente encontrado em pouca quantidade. Seu
acúmulo acontece em situações anormais (edema):
 obstrução de vasos venosos e linfáticos
 insuficiência cardíaca
 desnutrição com carência de proteínas
 agressões mecânicas
 substâncias químicas

Tecido Conjuntivo Frouxo
 Formado por uma trama delicada de fibras
colágenas e elásticas, muito flexível e pouco
resistente à tração; bastante vascularizado e
inervado
 As células mais comuns, embora ocorram
todos os tipos, são os fibroblastos e
macrófagos
Tecido Conjuntivo Frouxo: Distribuição
 Preenche os espaços entre as fibras e feixes
musculares
 Serve de base para os epitélios
 Forma uma camada ao redor dos vasos sangüíneos e
linfáticos
 Também encontrado nas papilas da derme e
hipoderme
 Membranas serosas que revestem as cavidades
peritoneais e pleurais
 Glândulas

Tecido Conjuntivo Denso
 Apresenta fibras colágenas, elásticas e reticulares,
substância fundamental amorfa e células;
 Neste tipo de tecido ocorre um predomínio acentuado
de fibras colágenas
 É menos flexível e mais resistente à tensão que o
tecido conjuntivo frouxo
Tecido Conjuntivo Denso Modelado
 Neste tecido as fibras colágenas são
paralelas, grande resistência à tração
numa só direção (direção das fibras).
 Forma os tendões, fáscias e aponeuroses

Tecido Conjuntivo Denso Não Modelado
 Neste tecido as fibras colágenas formam uma
trama tridimensional muito resistente à tração
(em qualquer direção);
 Este tecido forma a derme da pele e forma uma
cápsula ao redor dos órgãos

Tecido Conjuntivo Elástico
 Ocorre o predomínio de grossas fibras
elásticas que conferem a este tecido uma
grande elasticidade e a cor amarelada
típica;
 Tem ocorrência restrita podendo ser
encontrado formando a parede das
artérias, os ligamentos amarelo da coluna
vertebral e suspensor do pênis.

Tecido Conjuntivo Mucoso
 Este tecido tem consistência gelatinosa e ocorre o
predomínio de substância fundamental amorfa;
 Contém poucas fibras colágenas e não existem fibras
elásticas e reticulares;
 As células deste tecido são principalmente
fibroblastos. É o principal componente do cordão
umbilical onde é conhecido por gelatina de Wharton.
 Após o nascimento é encontrado na polpa dentária

Tecido Conjuntivo Reticular
 Tecido muito delicado com predomínio de
fibras reticulares que forma uma trama
tridimensional para a sustentação celular;
 Encontra-se intimamente associado aos
órgãos formadores de células do sangue,
medula hematogênica ou vermelha dos
ossos e órgãos linfóides.

Tecido Adiposo Amarelo, Unilocular ou Comum
 Observa-se a predominância de células adiposas
 Estas células têm a capacidade de armazenar
gorduras sob a forma de triglicerídeos, formando
a maior reserva energética do corpo;
 Em pessoas de peso normal, o tecido adiposo
corresponde a 20-25% do peso corporal na
mulher e 15-20% no homem;
 Os adipócitos deste tecido apresentam uma grande
gota de gordura dentro do seu citoplasma e o núcleo
fica confinado a periferia celular; cada célula é
envolvida por uma lâmina basal
 Além da reserva energética que representa, o tecido
adiposo localizado abaixo da pele (panícuolo adiposo)
modela o corpo, sendo responsável pelas diferenças
do contorno corporal feminino e masculino;
 Forma os coxins absorventes de choque mecânico,
(planta dos pés e palma das mãos);
 Contribui para o isolamento térmico do organismo
 Preenche os espaços entre outros tecidos
 Auxilia a manter os órgãos em suas posições normais
 Também possui atividade secretora, sintetizando
diversos tipos de moléculas
 Apresenta septos de tecido conjuntivo que contêm
vasos e nervos. Tecido altamente vascularizado
 Sintetiza: adiponectina, leptina, lipase lipoprotéica
 As células adiposas uniloculares se originam no
embrião a partir de células derivadas do
mesênquima, os LIPOBLASTOS
 Lipomas: tumores benignos do tecido adiposo
unilocular (freqüentes)
 Lipossarcomas: tumores malignos (muito menos
freqüentes)

Tecido Adiposo Multilocular ou Pardo
 Conhecido por tecido adiposo pardo devido a sua
intensa vascularização e a grande quantidade de
mitocôndrias presentes nos seus adipócitos. É
especializado na produção de calor
 O nome multilocular é devido a gordura estar
distribuída em numerosas vesículas dentro dos
adipócitos, o que permite a posição central do
núcleo;
 Este tipo de tecido é restrito aos recém
nascidos e animais hibernantes;
 A transformação da gordura em energia
mantém o corpo dos recém nascidos
aquecido e, por comando hormonal,
aquece o sangue que vai para o cérebro
dos animais hibernantes, despertando-os.

Nenhum comentário: